Versículo: 1Pe. 3:13-17 – “Ora, quem é que vos há de maltratar, se fordes zelosos do que é bom? Mas, ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, bem-aventurado sois. Não vos amedronteis, portanto, com as suas ameaças, nem fiqueis alarmados; antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo, porque, se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal”.

Poucas são as pessoas interessadas em estudar a fundo a Palavra de Deus. Muitas vezes nos conformamos apenas com o que ouvimos nas igrejas, programas de rádio e TV, é muito mais cômodo. Por isso muitos vão com qualquer vento de doutrina, outros não se firmam, e muitos continuam doentes.

Mt. 22:29 – Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.

Vemos igrejas lotadas de cristão rasos, que não sabem nem dizer com convicção porque seguem a Cristo, no que crêem; por isso, quero antes de discorrer sobre os versículos da carta de Pedro, trazer a memória a conduta exemplar dos crentes de Beréia:

At. 17:11-12 – Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez[1], examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim. Com isso, muitos deles creram, mulheres gregas de alta posição e não poucos homens.

Estes crentes tinham sede de poder e de conhecimento, entendiam que estes (poder e conhecimento) deveriam andar sempre juntos para o bom senso e o equilíbrio de todo homem e toda mulher.

Porém, gostaria de voltar ao texto inicial, a carta de Pedro, e discorrer sobre alguns conceitos que acredito serem essenciais se quisermos ter uma vida cristã com a responsabilidade tentar dar respostas a um mundo repleto de questionamentos e inquietações, sedentos por respostas mais profundas do que as que costumeiramente escutamos em nosso meio “evangelikeis”.

Ø Santificar a Cristo: Santificar a Deus (≠ do homem se santificar) significa temer, reverenciar. Todos nós sabemos que “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Pv. 28:14) e por isto este é o primeiro ponto que devemos entender.

A Bíblia Anotada diz que temor é assombro diante do Senhor, em vista do fato de que Ele (Cristo) vai nos julgar. Porém não gosto muito desta definição. Prefiro o que a Bíblia da Linguagem de Hoje diz: Respeitar ou reverenciar a Deus, reconhecendo a Sua grandeza e santidade. Não que dizer simplesmente medo de Deus, é antes:

  • Respeito – Consideração; reverência; deferência; apreço; importância; submissão; temor;
  • Amor – O amor é a mais elevada qualidade cristã, devendo nortear todas as relações da vida com o próximo e com Deus. Esse amor envolve consagração a Deus e confiança total nele, incluindo compaixão pelos inimigos e o sacrifício em favor dos necessitados.
  • Obediência – obedecer significa acatar ordem ou orientação, submeter-se a, sujeitar-se a Deus; resposta aos conselhos de alguém demonstrada na observação dos princípios do cristianismo. Também pode significar purificação, depuração.
  • Adoração a Ele – Culto, honra, reverência e homenagem prestados a Deus.

Também tememos a Deus quando somos sinceros e fieis. Js. 24:14aAgora, pois, temei ao SENHOR e servi-o com integridade e com fidelidade;

Ø No coração: Deus não olha para a nossa aparência e sim para o nosso coração. Não adianta declararmos que tememos a Deus quando nosso coração está distante.

1Sm. 16:7 Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração.

O nosso coração é a fonte da vida (Pv. 4:23 – Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem às fontes da vida.) é a sede das nossas:

  • Emoções: sentimentos
  • Mente: intenção; intuito; plano; desígnio; etc…
  • Vontade: potência ou faculdade interior, em virtude da qual o homem se determina a fazer ou não fazer alguma coisa;

Nosso prazer deve sempre ser em santificar a Cristo em nossa vida, forjá-lo em nosso coração (2Co. 3:3 – estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações).

Ø A Esperança: Às vezes lemos este versículo e não estendemos bem o que Paulo diz como esperança. Esperança é confiança no cumprimento de um desejo ou de uma expectativa. Baseia-se na confiança em Deus (Rm 15.13 – E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo.)O apostolo deixa claro a partir de seus escritos pelo menos 2 tipos de esperanças que estão latentes nos corações daqueles que temem ao Senhor:

  • Em Cristo: Cl. 1:27-28 – aos quais Deus quis dar a conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória; o qual nós anunciamos, advertindo a todo homem e ensinando a todo homem em toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo;
  • Na regeneração plena/ na glória futura: no sentido cristão esperança aqui seria regozijo e expectativa confiante da eterna salvação.

Rm. 8:22 – 25Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo. Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos.

Ø Preparando-se: Como então nos devemos preparar para ter sempre resposta ao que nos perguntarem a razão da nossa esperança?

  • Vida de oração para discernir a verdade. Ef. 6:18 – com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos.

  • Estudo bíblico:

A Palavra é puraPv. 30:5-6 – Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.

Dela provem a féRm. 10:17 – E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.

É útil para toda boa Obra2 Tm. 3:16-17 – Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.

Concluo este texto com a expectativa de que possamos seguir o conselho de Paulo aos Colossenses e nos assemelharmos aos crentes de Beréia. Para que então sejamos obreiros aprovados por Deus, para toda boa obra (2Tm. 2:15 – Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade).

Cl. 3:16 – Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.

Cláudia Sales


[1] Altivez = cheio de nobreza, fundado na consciência da própria dignidade.